Menu

Seringueiras: Delegado diz que homicídios podem ter ligações com divisão de grupos criminosos

A Polícia Civil está investigando a ligação entre cinco homicídios e um desaparecimento ocorridos desde abril em Seringueiras (RO). De acordo com delegado, a primeira suspeita da relação foi com o desaparecimento de um jovem, no dia 28 de abril. Já as mortes aconteceram em maio, junho e no último dia 27 de agosto.

Conforme o delegado Henrique Mendonça, as investigações apontam que os crimes aconteceram depois da divisão de um grupo criminoso. As mortes, possivelmente, seriam um acerto de conta entre eles.

Nem todas as vítimas dos crimes tinham passagens pela polícia, mas, segundo o delegado, há informações de todos faziam parte dos grupos rivais.

Segundo Mendonça, as investigações iniciaram no dia 28 do mês de abril, quando o jovem Maycon Castro de Paula desapareceu. Na época, o jovem tinha 17 anos e estava com amigos, quando saiu de moto de uma lanchonete e nunca mais encontrado.

Sem localizar a vítima, a polícia não descarta a possibilidade de o jovem estar vivo, mas, segundo o delegado, a grande suspeita da Polícia Civil é que ele tenha sido a primeira vítima da série de homicídios.

Com o início das buscas pelo jovem desaparecido, a Polícia Civil descobriu que havia indícios dele fazer parte de um grupo criminoso e que o desaparecimento poderia estar ligado com isso.

No mês seguinte, em maio, mais um homicídio aconteceu na cidade. Segundo a polícia, a vítima também tinha ligação com os grupos criminosos.

Em junho foram registrados mais três casos em menos de cinco dias. Um deles aconteceu em uma casa no Centro da cidade.

A denúncia aconteceu por vizinhos, que ouviram os tiros e acionaram a Polícia Militar (PM). Segundo o boletim de ocorrência, o homem era conhecido na cidade por fazer parte do Movimento Sem Terra.

Na última segunda-feira (28), mais um homicídio foi registrado na cidade. Desta vez o homem foi morto com quatro tiros na cabeça em uma oficina.

Mendonça explica que o crime ainda é bem recente e a vítima, além de fazer parte de um dos grupos rivais, tinha outros problemas. “Suspeitamos que ele também entra na lista, mas também pode ser um acerto de conta por outros problemas. Ainda não tem nada concreto”, explica o delegado.

O delegado Mendonça explica que uma das grandes dificuldades das investigações é ausência de testemunhas ou testemunhas que, por medo de represália, não colaboram com as investigações.

Entretanto, Mendonça afirma que as investigações dos casos estão bem avançadas e a polícia já conseguiu prender dois suspeitos. Um deles está em Seringueiras e outro foi preso em Palmeira (GO).

“Um dos suspeitos já está preso e, com certeza, ele é um dos responsáveis. Nós estamos aguardando resultado de perícia e são essências para as investigações. O outro suspeito fugiu e foi preso em Goiás. Estamos aguardando ele ser recambiado para cá”, explica.

Fonte: G1/RO

0

A Redação do OndaTOP, é responsável pelo compartilhamento de informações relevantes ao público do Canal, e pela editoria oficial de materiais que sejam elaborados a pedido da gestão do Grupo DigiCOM Comunicação.