Menu

Mascarados entram em confronto com a PM em Goiânia, e estudante fica gravemente ferido

Um grupo de mascarados entrou em confronto com a Polícia Militar, no início da tarde desta sexta-feira (28), na região central de Goiânia. Um vídeo mostra o momento em que eles jogaram rojões contra os policiais no cruzamento da Avenida Anhanguera com a Avenida Goiás. Os agentes revidaram usando cassetetes. Um manifestante ficou gravemente ferido.

O confronto começou quando os mascarados tentavam queimar bandeiras. O estudante de ciências sociais da Universidade Federal de Goiás (UFG) Mateus Ferreira da Silva, de 33 anos, acabou ferido no rosto por um policial com um cassetete durante a confusão e caiu. Outros manifestantes o colocaram em cima de uma placa e o carregaram até o cruzamento da Avenida Goiás com a Rua 3, onde ele recebeu atendimento do Corpo de Bombeiros.

Mateus foi levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e o estado de saúde dele é considerado grave, conforme o boletim médico divulgado pela unidade às 16h. O paciente está sedado e respira por aparelhos. Conforme a nota, ele apresenta traumatismo cranioencefálico (TCE) e múltiplas fraturas.

Ainda segundo o Hugo, Mateus “passou por exames e avaliação multidisciplinar, onde foi submetido a procedimentos na face com a equipe de bucomaxilofacial. Não há previsão cirúrgica”. O hospital informou que Mateus recebeu cuidados intensivos na emergência e foi encaminhado, no final desta tarde, à Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Ferido durante protesto em Goiânia, o estudante Mateus Ferreira está internado no Hospital de Urgências de Goiânia (Foto: Reprodução/Facebook)

Ferido durante protesto em Goiânia, o estudante Mateus Ferreira está internado no Hospital de Urgências de Goiânia (Foto: Reprodução/Facebook)

PM vai apurar

Em nota enviada no fim desta tarde, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que “condena veementemente todo e qualquer tipo agressão, praticada por policias militares no exercício de sua função”. Destaca ainda que não compactua com “atos que possam afrontar os princípios da ética, moral e legalidade”.

A corporação destacou ainda que já foi determinada, de forma imediata, a abertura de um inquérito pela Corregedoria da PM com o intuito de “individualizar condutas e apurar responsabilidades”.

Ainda no comunicado, a PM afirma que quatro policiais militares ficaram feridos durante o confronto e foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para serem submetidos a exames de corpo de delito.

Fim do protesto

Após a confusão, equipes da Cavalaria da PM, da Tropa de Choque e do Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer) seguiram para a região onde houve o confronto.

Eles monitoraram a movimentação dos manifestantes, que seguiram pela Rua 3, acessaram a Avenida Anhanguera, depois a 1ª Avenida e chegaram na Praça Universitária, onde encerraram o ato às 13h30 na frente da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Originalmente em G1

0

Anderson Guizolfe
Anderson Guizolfe é jornalista, fotógrafo profissional e se aventura no marketing e em novas tecnologias. Faz coberturas fotográficas dinâmicas em diversos eventos, e à 12 anos garimpa informações e notícias entre uma faculdade ou outra, e o serviço público.