Menu

Homem mata amante enforcada porque ela não quis abortar

Um crime bárbaro chocou a região de Piracicaba, no interior de São Paulo, nesta quarta-feira (26). Uma mulher que estava desaparecida desde segunda-feira (24) foi encontrada da pior maneira possível. A mulher, a designer Denise Stella, de 31 anos , foi vítima da crueldade de um homem descontrolado.

A designer foi morta por seu chefe, que mantinha um caso extraconjugal com a moça. Pelo que foi apurado pela polícia, Denise Stella engravidou de Cristiano Romualdo, que, por ser casado, não poderia deixar a história vir à tona. Então, ele queria obrigar que a #Amante a fazer um aborto..

A história foi contada à Polícia Civil pelo próprio assassino. O homem, que é gerente de uma fábrica de roupas, alegou descontrole por conta da recusa da mulher em tirar o filho que esperava dele. Cristiano ainda tentou convencê-la de todas as formas a interromper a gravidez, mas, segundo o gerente casado, ela se recusou. Então, o suspeito usou o cinto de segurança do carro da vítima e a asfixiou até matá-la.

O corpo de Denise foi encontrado na tarde desta quarta-feira (26) em uma plantação de canal numa estrada que liga Piracicaba a Tietê. A vítima morava na mesma cidade do suspeito, Saltinho, no Estado de São Paulo. O homem conduziu a polícia até o local onde o carro havia sido deixado, com o corpo dentro. O município onde o carro foi abandonado é Rio das Pedras.

A sequência dos fatos foi apurada pela polícia.

As investigações apontaram que a vítima havia marcado um jantar na casa de uma amiga. Após o jantar, Denise Stella foi ao encontro do acusado. Ela estava em seu próprio carro, um Volkswagen Gol prata. Cristiano Romualdo, ao encontrá-la, entrou no carro e eles começaram a conversar. Durante a conversa, a designer revelou que estava grávida de dois meses. Nesse momento, o gerente disse à amante que os dois não poderiam ser pais daquela criança, pois ele era casado e não pretendia se separar, nem muito menos, trazer à tona a notícia.

Denise então se recusou veementemente a interromper a gravidez. O casal discutiu, até que o homem perdeu o controle, acessou o cinto de segurança e o usou como instrumento para enforcar e matar sua amante.

O homem, que mesmo tendo confessado, deve ser considerado como suspeito, até o julgamento, foi encaminhado para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Piracicaba, onde prestou o depoimento à polícia. O corpo da mulher grávida foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde será periciado para identificar a real causa da morte.

Originalmente em Blasting News

0

A Redação do OndaTOP, é responsável pelo compartilhamento de informações relevantes ao público do Canal, e pela editoria oficial de materiais que sejam elaborados a pedido da gestão do Grupo DigiCOM Comunicação.