Menu

CRIME ‘SOB SUSPEITA’: Filho de ex-prefeito Rover morre após ser baleado em invasão à residência

Um crime cheio de  mistérios. É assim que com certeza será tratado o ataque a família Rover em Vilhena. Na noite desta sexta-feira, 25, o jovem de 22 anos Luiz Eduardo Silva Rover, morreu após ser atingido por dois disparos de pistola 380  ao chegar em casa junto com o pai José Rover, a namorada e amigos.

O episódio aconteceu na casa do ex-prefeito, à rua Elvira Crepaldi Mendes, Jardim Eldorado.

As informações preliminares davam conta que o jovem chegou com o pai de carro após ter ido comprar cerveja, e neste momento foram abordados por dois meliantes que anunciaram o assalto.

Segundo as testemunhas em dado momento após a abordagem, um dos criminosos apontou a arma para o ex-prefeito e efetuado disparos –  momento onde o filho Luiz Rover teria se jogado na frente do mesmo, sendo alvejado no tórax e no pescoço.

O vereador Sargento Sushi, que reside na casa ao lado, prendeu em flagrante um dos criminosos, que foi identificado como Lucas Rodrigues Ramos 22 anos, que estava armado com uma pistola calibre 380.

O CRIME SEGUNDO TESTEMUNHAS

Lucas de posse de uma pistola mirou em direção ao ex-prefeito Zé Rover e teria dito as palavras “é este”, ocasião em que o filho pulou na frente do pai. Uma segunda testemunha diz não ter ouvido os criminosos anunciarem o roubo e que só se lembra deles terem invadido o local e sacado a arma de fogo e efetuado os disparos.

Luiz Rover foi atingido por um disparo próximo do pescoço e outro no tórax –  fatal, já seu pai, levou um tiro de raspão na cabeça. Foram os próprios amigos, juntamente com o pai da vítima que o encaminharam ao pronto socorro do Hospital Regional, onde ele acabou sofrendo paradas cardiorrespiratórias e falecendo.

SUSPEITAS

É notório que o ex-prefeito havia feito várias delações à Polícia Federal quanto aos crimes políticos ocorridos na época em que ele era prefeito de Vilhena e inclusive, foi condenado a cumprir prisão domiciliar – benefício conquistado eventualmente pelo teor valioso das informações prestadas à Polícia e que estão sob apuração.

Neste sentido a Polícia Federal (PF) entra caso, uma vez que, o caso na verdade pode tratar-se de um crime de queima de arquivo.  Nomes de grandes políticos do estado, envolvidos em casos de corrupção teriam sido delatados e isso poderia prejudicar grandemente a vida pública de alguns muitos interessados em ver Zé Rover “de boca fechada”

De uma coisa podemos ter certeza a Polícia Federal irá até o fim nas investigações para elucidar os crimes delatados por Rover e se o bárbaro atentado contra sua vida, que vitimou seu filho tiver ligação com as delações, os culpados responderão na cadeia.

Texto, Anderson Guizolfe
*Com Informações de Folha de Vilhena

0

Anderson Guizolfe
Anderson Guizolfe é jornalista, fotógrafo profissional e se aventura no marketing e em novas tecnologias. Faz coberturas fotográficas dinâmicas em diversos eventos, e à 12 anos garimpa informações e notícias entre uma faculdade ou outra, e o serviço público.