Menu

Fóssil de réptil de 90 milhões de anos é encontrado em Minas Gerais

Pesquisadores de Minas Gerais anunciaram nesta sexta-feira a descoberta de um fóssil que possivelmente pertence a uma espécie desconhecida de crocodilo que viveu há 90 milhões de anos.

Crânio de espécie de crocodilo que habitou o que hoje é a região Sudeste  Foto L Adolfo-Estadão Conteúdo

Crânio de espécie de crocodilo que habitou o que hoje é a região Sudeste ( Foto L Adolfo-Estadão Conteúdo)

O trabalho foi feito nos sítios paleontológicos de Três Antas e Seis Irmãos, na região de Iturama e Campina Verde, por geólogos, paleontólogos e técnicos da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Entre as descobertas, estão a de dois crocodilos e uma ninhada com quatro ovos. O principal achado é um crânio praticamente completo de 45 centímetros, além de vários elementos ósseos — como cauda e perna — de uma espécie ainda não documentada de crocodilo.

Os pesquisadores localizaram ainda microfósseis de ostracodes, que são crustáceos de água doce, além de fragmentos de peixes — escamas e ossos cranianos — e de uma tartaruga. “Há uma grande possibilidade de se tratar de espécimes inéditos para a ciência. Com certeza, resultarão em artigos científicos”, disse o geólogo Luiz Carlos Ribeiro, um dos líderes da pesquisa.

Exposição — Identificados os espécimes e comprovado seu ineditismo, os fósseis serão disponibilizados em mostra pública no Museu dos Dinossauros, que fica no Complexo Cultural e Científico de Peirópolis, na zona rural de Uberaba, no Triângulo Mineiro.

Via VEJA com Estadão Conteúdo e agência EFE​

0

Anderson Guizolfe
Anderson Guizolfe é jornalista, fotógrafo profissional e se aventura no marketing e em novas tecnologias. Faz coberturas fotográficas dinâmicas em diversos eventos, e à 12 anos garimpa informações e notícias entre uma faculdade ou outra, e o serviço público.