Menu

Delegacia de RO acumula aparelhos quebrados e sujeira, dizem policiais

A falta de materiais para trabalhar, equipamentos danificados, sujeira e até a falta de água tem gerado reclamação por parte dos policiais militares que trabalham na sala de registro de ocorrências na Central de Polícia em Porto Velho. O banheiro, que seria reservado para uso do efetivo policial, está em péssimas condições. A proteção improvisada pelos policiais após um preso quebrar o vidro de proteção que separa a sala dos presos da sala de registros de ocorrências em junho deste ano, ainda permanece. O vidro não foi substituído.

Central de Flagrantes da Polícia passa por estado crítico, limpeza é realizada apenas por presos em regime de reeducação

Central de Flagrantes da Polícia passa por estado crítico, limpeza é realizada apenas por presos em regime de reeducação

De acordo com o policial militar João Paulo de Moraes, os problemas são diários e têm atrasado o trabalho das guarnições que precisam registrar as ocorrências. “Você pode observar que só tem uma impressora com fita. Para não ficar sem registrar, nós estamos usando o carbono do papel e temos que imprimir o dobro de vias”, diz o policial. Cada ocorrência deve ser impressa em três vias, mas pela falta de fitas nas impressoras estão sendo impressas seis vias.

Além disso, dos quatro computadores com impressoras, um está sem funcionar há muito tempo. Segundo os policiais, de sexta-feira (29) a domingo (1), período em que aumentam as ocorrências, o tempo de permanência na Central de Flagrantes para registro da ocorrência é maior.

Outra reclamação é a falta de um bebedouro de água para os servidores que trabalham no local e para os policiais que chegam à delegacia para fazer o registro da ocorrência.

Insalubre
Outro fator que tem gerado reclamação é a sujeira a que estão expostos os policiais. O mau cheiro, o lixo acumulado, água escorrendo pela parede em dias de chuva são apontados como principais problemas do local. Segundo o PM, a limpeza só acontece quando há pessoas cumprindo pena alternativa.

“O nosso banheiro é imundo. Era para ser usado só pelos policiais, mas até os presos usam. E nós ficamos aqui. Já pr

Banheiro reservado ao efetivo policial está em estado deplorável

Banheiro reservado ao efetivo policial está em estado deplorável

ocuramos a Sesdec para resolver, para pedir melhorias, mas nada acontece”, diz João Paulo.

No domingo (1), a água que escorreu pela parede durante a chuva formava uma espécie de lama no piso, em contato com a sujeira acumulada.

G1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) e, de acordo com a assessoria, são disponibilizados três detentos e uma servidora da secretaria para que o serviço de limpeza seja realizado no local diariamente. Além disso, outros dois reeducandos devem ser enviados à Central de Flagrantes para melhorar o trabalho.

O responsável pela administração do local e a assessoria da Polícia Civil também  foram procurados, mas não foram localizados para comentar o caso.

Fonte: G1 RO

0

A Redação do OndaTOP, é responsável pelo compartilhamento de informações relevantes ao público do Canal, e pela editoria oficial de materiais que sejam elaborados a pedido da gestão do Grupo DigiCOM Comunicação.