Menu

Fone de Ouvido: O mau uso pode causar perda da capacidade auditiva

De acordo com especialistas, aparelhos eletrônicos que permitem o uso de fones de ouvido como celulares, Ipods, Ipads, computadores portáteis – laptops, notebooks e netbooks – e mp3 players podem prejudicar a saúde auditiva de seus usuários, se a exposição ao som for frequente e inadequada.

O fone de ouvido, acima de 80 decibéis, pode prejudicar a audição e antecipar a surdez

O fone de ouvido, acima de 80 decibéis, pode prejudicar a audição e antecipar a surdez

É de 80 decibéis a média de exposição máxima segura para o ouvido humano. A partir desse nível, a exposição acima de 30 minutos põe em risco a saúde auditiva, podendo desencadear sintomas como zumbidos no ouvido, déficit de atenção e necessidade de que haja repetição de palavras para haver compreensão.

Os fones de ouvido são considerados os mais prejudiciais ao aparelho auditivo porque emitem sons sem barreiras de forma direta para o tímpano. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o volume máximo do fone de ouvido não ultrapasse 65 decibéis.

“O som dos fones Ipods, MP3, podem chegar a 120 decibéis que vão diretamente para as orelhas e provocar, com isso, a lesão das células ciliadas da cóclea, um caminho certo para surdez precoce”, afirma o Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento, professor titular da Disciplina de Otorrinolaringologia do HC-FMUSP.

O zumbido é o primeiro sintoma de problemas de audição, antes mesmo de causar alguma perda auditiva percebível. Segundo levantamento de dados por meio de pesquisa feita pelo HC, 35% dos casos de zumbido diagnosticados pelo hospital estão ligados a ruído, tanto causados por trauma acústico ou por exposição demasiada a sons potencialmente danosos.

Hoje, mais de 560 milhões de pessoas têm problemas auditivos no planeta e a previsão é de que este número chegue a 700 milhões em 2015 e 900 milhões em 2025, segundo apontam dados recentes do British MRC Institute of Hearing Research, do Reino Unido. No Brasil, estima-se que 15 milhões de pessoas sofram de algum tipo de perda auditiva e que 350 mil tenham surdez total. Além disso, dos 3,1 milhões de brasileiros que nascem anualmente, menos de 10% passam por avaliação de surdez.

Em decorrência desse cenário, universidades e instituições têm se unido na pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para o tratamento do aparelho auditivo. O mais novo produto lançado no país é um software chamado Hearing Guardian V1 – guardião da audição, desenvolvido com exclusiva tecnologia Earlogic de origem coreana, que promete diagnosticar, proteger e tratar problemas auditivos.

“Zumbido permanente é o primeiro sintoma de problemas de audição”

Pesquisas demonstraram que 6 a 7 entre cada 10 pessoas que fizeram corretamente o tratamento com a tecnologia Earlogic (duas vezes ao dia por trinta minutos durante duas semanas) tiveram restauração de até 10dB da audição. O software pode ser baixado gratuitamente no site da Biosom para testes.

www.biosom.com.br  – O Download do programa é grátis.

 

***Artigo Publicado originalmente em: www.CriaSaude.com.br

0

Anderson Guizolfe
Anderson Guizolfe é jornalista, fotógrafo profissional e se aventura no marketing e em novas tecnologias. Faz coberturas fotográficas dinâmicas em diversos eventos, e à 12 anos garimpa informações e notícias entre uma faculdade ou outra, e o serviço público.