Menu

“Eu não tenho mais nenhum controle do avião”, disse piloto do Air France

As últimas conversas da tripulação do vôo 447, da Air France, foram reveladas na noite desta sexta-feira pelo Escritório de Investigação e Análises para a Aviação Civil (BEA), da França, e mostram uma tripulação desorientada e sem saber como reagir à emergência.

Os 3 minutos de diálogo mostram que tripulação não sabia como reagir à pane dos sensores da aeronave

Os 3 minutos de diálogo mostram que tripulação não sabia como reagir à pane dos sensores da aeronave

A agência divulgou trechos das conversas da cabine que foram registradas pela caixa-preta da aeronave. Elas mostram o desespero dos pilotos com a falta de dados. Essa falta de informação foi provocada pelo congelamento dos sensores de velocidade, os tubos de Pitot.

Os diálogos começam às 2h11min32s, horário de Greenwich (23h11min32s de Brasília), e vão até 2h14min28s (23h14min28s, também pelo horário de Brasília). São três minutos que mostram quando a equipe ficou sem o piloto automático, perdeu os equipamentos eletrônicos de navegação, percebeu que a aeronave começava a cair e entrou em desespero, sem saber como resolver o problema.

Nesta sexta, o BEA afirmou que o congelamento das sondas Pitot e, principalmente, os erros sucessivos do piloto e copilotos foram os motivos que provocaram a queda do avião.

“A situação era salvável”, afirmou Jean-Paul Troadec, diretor do órgão. “É difícil saber a partir de qual momento nada mais poderia ser feito.

Os pilotos não entenderam o que estava acontecendo. No último minuto de voo, eles ouviram o alarme de proximidade do solo”, concluiu

Veja abaixo os diálogos:

2h11min32s – Piloto em função (Bonin): “Eu não tenho mais o controle do avião. Eu não tenho mais nenhum controle do avião”.

2h11min43s – Comandante entra no cockpit: “Ei, o que vocês estão fazendo?”. – Bonin: “O que está acontecendo? Eu não sei. Eu não sei o que está acontecendo”.

2h12min4s – Bonin: “Eu tenho a impressão que estamos a uma velocidade maluca, não? O que vocês acham?”

2h12min13s – Copiloto (Robert) : “O que você acha? O que você? O que é preciso fazer?”

2h12min15s – Comandante: “Eu não sei. Está descendo”.

2h12min27s – Robert : “Você está subindo… Você está descendo, descendo, descendo, descendo”. – Bonin: “Eu estou me descendo agora?”.

2h12min32s – Comandante: “Não, você está subindo agora!”

2h12min33s – Bonin: “Eu estou subindo? OK, então vou descer”.

2h12min44s – Comandante: “Não é possível”.

2h13min25s – Bonin: “O que está… Como pode que a gente continue descendo tanto?”.

2h13min39s – Robert: “Sobe, sobe, sobe, sobe”.

2h13min40s – Bonin: “Mas eu estou empinando muito há algum tempo”. – Comandante: “Não, não, não, não sobe”. – Robert: “Então desce”.

2h13min45s – Robert: “Então me passa os comandos, me passa os comandos”.

2h14min5s – Comandante: “Atenção, você está empinando” – Robert (que assumiu o comando): “Estou empinando?” – Bonin: “Bom, é o que é preciso fazer, nós estamos a quatro mil pés.”

2h14min18s – Comandante: “Vai, puxa!” – Bonin: “Vai, puxa, puxa, puxa, puxa.”

2h14min28s – Fim das gravações.

FONTE: Último Segundo – (Com informações da Agência Estado)

0

Anderson Guizolfe
Anderson Guizolfe é jornalista, fotógrafo profissional e se aventura no marketing e em novas tecnologias. Faz coberturas fotográficas dinâmicas em diversos eventos, e à 12 anos garimpa informações e notícias entre uma faculdade ou outra, e o serviço público.