Menu

Atira em professora, e se mata na escola

A arma utilizada pelo aluno de 10 anos que atirou dentro da sala de aula em São Caetano do Sul, no ABC, na tarde desta quinta-feira (22), pertence ao pai dele, segundo informações do secretário da Segurança Pública do município, Moacyr Rodrigues. Embora o pai seja guarda-civil municipal, no entanto, o revólver era particular, e não da corporação.

O estudante da Escola Municipal Alcina Dantas Feijão atirou na professora por volta das 16h, e depois disparou contra a própria cabeça. Ele havia acabado de sair do intervalo, quando pediu para ir ao banheiro. Na volta, chegou atirando. De acordo com a Prefeitura, os dois foram socorridos com vida, mas o estudante David Mota Nogueira morreu. A professora, identificada como Rosileide Queiros de Oliveira, de 38 anos, deixou a escola consciente. No momento em que o menino do 4º ano usou a arma, havia 25 estudantes na classe.

Depois de atirar em professora aluno de 10 anos se mata e causa intensa movimentação na porta de uma escola em São Caetano

Depois de atirar em professora aluno de 10 anos se mata e causa intensa movimentação na porta de uma escola em São Caetano

O secretário da Segurança de São Caetano do Sul disse que quando um guarda-civil sai com a arma para trabalhar ele a devolve no final do expediente. “[O pai do garoto] é um homem de bom conceito dentro da Guarda Civil, com mais de 14 anos dentro da corporação”, disse Rodrigues, acrescentando que esta “é uma situação muito difícil de descrever”.

De acordo com Rodrigues, todos os guardas-civis da cidade foram alertados para que ficassem atentos à possibilidade de armas em escolas desde que um estudante matou 12 alunos em Realengo, no Rio de Janeiro, em abril. “A segurança da escola já é feita, esse tipo de situação não tem como prever”, afirmou o secretário.

As aulas na escola foram suspensas nesta quinta e na sexta-feira (23). A Prefeitura afirmou que o menino era considerado um aluno calmo e sem histórico de violência. O motivo para o crime ainda é desconhecido.

Arma
O delegado-titular da Delegacia-Sede de São Caetano do Sul, Francisco José, disse que o pai do garoto pode ser responsabilizado criminalmente pelo ocorrido. “Vamos investigar se ele agiu com imprudência ou negligência na guarda desta arma”, afirmou.

A polícia ainda não sabe quando ouvirá o pai do estudante, que está abalado emocionalmente com a morte trágica do filho. O delegado informou, no entanto, que irá procurar famílias de outros alunos da escola e que duas testemunhas adultas serão ouvidas já nesta sexta-feira (23).

O estudante usou um revólver calibre 38 que pertence ao pai, um guarda-civil municipal. De acordo com a polícia, o garoto entrou com o revólver na mochila.

Fonte: G1.GLOBO.COM

0

A Redação do OndaTOP, é responsável pelo compartilhamento de informações relevantes ao público do Canal, e pela editoria oficial de materiais que sejam elaborados a pedido da gestão do Grupo DigiCOM Comunicação.