Menu

Associação Brasileira de Pilotos de Motociclismo cobra ações ambientais da CBM

Com a finalidade preservar o Meio Ambiente, combatendo a poluição causada pelos gazes produzidos pelos motores durante as provas de motociclismo, na última semana, Reinaldo Selhorst, presidente Associação Brasileira de Pilotos de Motocross – ABPMX, encaminhou a direção da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM um documento cobrando da entidade que faça um trabalho voltando a proteção e recuperação ambiental. A cobrança é dirigida a CBM e demais entidades nas provas do Brasileiro de MX, Superliga e campeonatos regionais.

Ações Ecológicas em 2010 na Cidade de Cacoal na Etapa do Latino Americano

Ações Ecológicas em 2010 na Cidade de Cacoal na Etapa do Latino Americano

Além de realização do plantio de árvores como trabalho de reposição dos danos causado a natureza, o documento encaminhado a CBM apresenta uma série de outras exigências, consideradas de extrema necessidade para preservação do Meio Ambiente. A iniciativa, segundo Selhorst, vem de encontro aos interesses dos patrocinadores, que querem ver seus nomes veiculados a um projeto voltado ao bem-estar social, e politicamente correto do ponto de vista ecológico.

“Diante da realidade do planeta, onde a natureza já se manifestas pelas constantes agressões sofridas, se faz necessário desenvolver projetos voltados para o combate aos excessos de poluição e degradação á natureza. O aquecimento global é uma realidade que preocupa o mundo e cada seguimento precisa fazer a sua parte”, cobrou Reinaldo, lembrando que estará cobrando das autoridades promotoras dos campeonatos estadual e nacional, que façam cumprir estas determinações.
O documento que foi enviado a CBM,é para ser colocado em prática, já para a abertura do Campeonato Brasileiro de MX. “Tratar do Meio Ambiente não é uma imposição, mas conscientização”, lembrou Selhorst.
No check-list apresentado pela ABPMX á CBM, consta que a partir desta temporada, a cada prova do Brasileiro de MX, a Confederação Brasileira de Motociclismo e outras entidades, façam regularização do local do evento adquirindo licença ambiental e licença de atividade. Apresente um plano de controle Ambiental com projeto de compensação de crédito de carbono, plantio de árvores para compensação, implantar lixeiras para coleta seletiva, tratamento da água nos lavadores das motos, colocar recipientes para coleta de lubrificantes nos Box, colocar manta para absorção de óleo em cada Box, placa de conscientização ambiental, mensagens sonoras durante o evento sobre a conscientização ambiental, utilizar decibelímetro, utilizar sanitários químicos e no final apresentar  relatório da destinação dos resíduos gerados durante cada prova, com resultados satisfatórios.
Projeto já reconhecido

Selhorst, presidente da Associação Brasileira de Pilotos de Motociclismo e Katia Hernane Presidenta da Comissão Internacional do Meio Ambiente em ação ambiental

Selhorst, presidente da Associação Brasileira de Pilotos de Motociclismo e Katia Hernane Presidenta da Comissão Internacional do Meio Ambiente em ação ambiental

Realizado numa parceria da Federação de Motociclismo de Rondônia – FMR com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental – Sedam o projeto de crédito de carbono, inicialmente foi implantado em 2009, durante a etapa do Latino Americano de MX, na cidade de Ji-Paraná. No ano seguinte, mais uma etapa do programa foi colocada em prática no latino ocorrido na cidade de Cacoal, ações de rendeu reconhecimento internacional ao presidente da FMR durante evento ocorrido em San Juan – Porto Rico, em novembro do ano passado.

 

0

Anderson Guizolfe
Anderson Guizolfe é jornalista, fotógrafo profissional e se aventura no marketing e em novas tecnologias. Faz coberturas fotográficas dinâmicas em diversos eventos, e à 12 anos garimpa informações e notícias entre uma faculdade ou outra, e o serviço público.