Menu

DEBATE: Cahulla acusa adversário de não responder, fazer “onda” e esconder os aliados e o vice

No último debate dessas eleições, ocorrido na noite desta quinta-feira (28),na TV Rondônia, em Porto Velho, o candidato a governador João Cahulla apresentou as suas propostas e resumiu o desempenho de seu oponente no embate: “além de inventar dados distorcidos sobre o Governo, o adversário não responde aos meus questionamentos, fica nervoso e acusa de boataria quando falo de seus aliados, esconde o seu vice e apenas faz ‘onda’, não apresentando nada de concreto, nada de real, apenas discursos vazios”.

O clima do debate ficou tenso quando Cahulla questionou o candidato do PMDB sobre suas alianças para o segundo turno e sobre os postos que o ex-deputado Carlão de Oliveira, acusado de comandar uma quadrilha que desviou mais de R$ 70 milhões da Assembléia, ocuparia caso seja eleito. “Não sou aliado de Carlão, sou aliado do filho dele, o Jean Oliveira, uma liderança jovem”, respondeu, visivelmente nervoso e constrangido o adversário. Cahulla foi além: “é verdade que o Carlão vai ocupar o DETRAN, que a Fátima Cleide vai ser titular da Seduc e o Batista vai ser, de novo, secretário de Administração?”. O candidato do PMDB se negou a esclarecer, mas não negou que eles teriam cargos em seu eventual Governo.

“Ele não desmentiu, ele confirmou. Se você quer o Carlão no DETRAN, se quer alguém da empresa Cascavel cuidando dos transportes, do passe livre aos idosos e deficientes, o candidato é ele. Se você quer Rondônia crescendo, se desenvolvendo e avançando mais, a opção é Cahulla 23”, arrematou.
João Cahulla cobrou que o adversário confirmasse o dia, o local, o evento, o momento em que ele teria feito qualquer tipo de agressão ou dirigido palavras de baixo calão ao candidato do PMDB. Novamente, sem resposta, o peemedebista se limitou a falar que ‘tem sido vítima de boataria’, numa tentativa de se fazer de coitado. Não colou.

“Ele só faz ‘onda’ e não apresenta propostas concretas”
João Cahulla afirmou que o oponente ‘só faz onda’, criando uma ilusão sobre uma Ariquemes perfeita, que só existe na propaganda. “Ele diz que há educação integral, quando o que há é um projeto falho em apenas duas escolas. Fala em vigilância eletrônica das ruas, com apenas duas câmeras. Ele é um grande vendedor de ilusões e não tem propostas claras e ainda declara que vai acabar com o Fitha e que não vai cuidar das estradas. Não podemos permitir que Rondônia volte ao passado”, observou Cahulla.

Em nova discussão, Cahulla acusou o oponente de ficar nervoso e se irritar quando são apresentados no programa eleitoral depoimentos da população de Ariquemes, desmascarando as fábulas do adversário. “São depoimentos verdadeiros e você briga com a imprensa e tenta impedir a divulgação do seu acordo com o ex-deputado Carlão de Oliveira. Não deveria esconder os seus aliados, pelo contrário, deveria mostrar à população com quem o senhor governaria, caso eleito”, garantiu.

Debate na Rede Amazônica é marcado por duras farpas e falta de respostas.

Debate na Rede Amazônica é marcado por duras farpas e falta de respostas.

Perguntado sobre quantas escolas, quantas salas de aula teria construído durante os mais de seis anos que foi prefeito de Ariquemes, o candidato do PMDB se limitou a responder que “a educação melhorou, criamos programas e projetos”, sem responder diretamente ao questionamento, como também não o fez quando indagado sobre quantos leitos hospitalares teria aumentado na sua gestão.

Esconde aliados e o vice, acusa Cahulla

Cahulla não poupou críticas ao adversário, a quem acusou de esconder os aliados e também o seu vice, o empresário do setor de transportes Airton Gurgacz. “Eles tem interesses que se confrontam com os taxistas, mototaxistas e pequenos empresários, por isso o meu oponente faz de tudo para escondê-lo. Eu apresento meu vice, uma pessoa séria, com trabalho prestado e que vai me ajudar e muito a fazer com que Rondônia avance mais”, completou.

Propostas e compromissos reafirmados
João Cahulla saudou aos servidores por seu dia e reafirmou que irá repassar o economizado com a transposição aos funcionários que permanecerem no quadro estadual. Ele disse ainda que irá construir um hospital na Zona Leste da capital e dar continuidade ao processo de regionalização da saúde. Sobre segurança, Cahulla anunciou a continuidade das contratações, do aparelhamento, aquisição de viaturas, armas e coletes, além de treinamento contínuo das forças policiais. “Vou fechar as fronteiras, por onde passam armas, drogas e o contrabando”, assegurou.

No encerramento, Cahulla conclamou a todos que são a favor da vida, a favor da família a somarem junto em seu projeto de Governo. “Quem já fez, fará mais. E não quem apenas fala, promete e não apresenta nada de concreto, mas apenas plano que nem mesmo ele acredita que poderá fazê-lo. Estou confiante na vitória e acredito no povo de Rondônia, que não vai deixar o passado tenebroso ressurgir”, finalizou.

Da Assessoria

0

Anderson Guizolfe
Anderson Guizolfe é jornalista, fotógrafo profissional e se aventura no marketing e em novas tecnologias. Faz coberturas fotográficas dinâmicas em diversos eventos, e à 12 anos garimpa informações e notícias entre uma faculdade ou outra, e o serviço público.